Arrotando Caviar (José Orcélio de Almeida Amâncio)

Print Friendly, PDF & Email
José Orcélio de Almeida Amâncio/Divulgação

“Da soberba só provém a contenda; mas com os humildes está a sabedoria” (Provérbios 13.10).

Estava subindo a Serra do Pico das Agulhas Negras em direção a cidade de Visconde de Mauá, a 27 km de Penedo em Resende,RJ, quando ouvi alguém utilizar essa expressão: “arrotando caviar”. Um dito incomum para mim, até porque ainda não comi caviar.
A princípio, não entendi bem o significado da frase, mas pelo desenrolar da conversa pude perceber que se tratava de alguém que gostava de contar vantagem, era orgulhoso, exaltado e, tremendamente soberbo, sem reconhecer em algum instante suas fraquezas, ou melhor, não aprendeu a ser humilde e nem atentou  para a vereda da descida, ou seja, ter que descer à posição de “servo”, ou admitir enfrentar determinadas situações de crise  financeira ou outra área da vida.
A soberba é a condição que provoca muitas dissensões. O soberbo não é pessoa agradável, não é respeitoso e, muito menos, apaziguador diante de alguma situação conflituosa. Aliás, a citação bíblica afirma que “da soberba só provém a contenda…”. Pode haver paz no coração do soberbo?
Isso é pura verdade! A pessoa soberba, é também orgulhosa e arrogante, ou seja, alguém que “arrota caviar”, mesmo sem ter comido tão rara e cara iguaria.
A soberba da vida (referência aos que “arrotam caviar”) não procede de Deus, mas reinante no mundo. A Bíblia diz: “Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. “ (1 João 2.16).
Quem “arrota caviar”, sem ter provado de tão cobiçada comida, ou seja, quem se exalta ao seu bel prazer e não consegue se humilhar, não conhece a sabedoria, muito menos se tornará um sábio agindo dessa forma. Ao contrário disso, será sempre alguém envolvido em algum tipo de confusão, de contenda ou de disse-me-disse. Esses tais, não somente prejudicam as suas vidas, mas afetam as vidas de outros também.
Evite “arrotar caviar”, seja humilde e não se comporte como uma pessoa soberba. Ser recatado faz bem para a saúde emocional e espiritual. Cultive boas amizades, evitando aliar-se com os soberbos e arrogantes, os quais são insuportavelmente movidos por inveja e por vanglória.
José Orcélio de Almeida Amâncio é pastor, escritor e membro da Academia Evangélica de Letras do DF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *