Operação Segurança Total vai reforçar o policiamento na Asa Norte

Print Friendly, PDF & Email

A ação mais ostensiva das forças de segurança teve início nesta quarta-feira (5) e ficará no bairro pelos próximos dias. O objetivo é coibir os índices de crime contra o patrimônio, furtos e roubos

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Com o objetivo de coibir os índices criminais na Asa Norte, o Governo do Distrito Federal (GDF) lançou, nesta quarta-feira (5), a Operação Segurança Total. A ação reforça o policiamento no bairro nos próximos dias, com a intensificação dos trabalhos do efetivo do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM) e o apoio das unidades especiais do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do Batalhão de Polícia de Choque, do Patamo, da Rotam, do Policiamento de Motas e da Cavalaria.

A ação reforça o policiamento no bairro nos próximos dias, com a intensificação dos trabalhos do efetivo do 3º BPM. O objetivo é coibir os índices de crime contra o patrimônio, furtos e roubos | Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

A medida visa levar mais segurança aos moradores e comerciantes da área, além de intimidar e reprimir as ações de criminalidade na região, que tem registrado ocorrências de crimes contra o patrimônio, furtos, roubos e consumo e tráfico de entorpecentes. Inicialmente será feita uma semana de patrulhamento ostensivo, com deslocamento de viaturas e de efetivo para locais estratégicos previamente levantados pela inteligência da PMDF.

O comandante do 1º CPR, coronel Cassaro, diz que “a Operação Segurança Total foi pensada na área da Asa Norte para a redução dos índices criminais e o aumento da sensação de segurança”

“A Operação Segurança Total foi pensada na área da Asa Norte para a redução dos índices criminais e o aumento da sensação de segurança. Por isso, estamos juntando todas as unidades especiais que demonstram maior ostensividade para atuar em apoio às unidades diárias fazendo essa intensificação”, explicou o comandante do 1º CPR (Comando de Policiamento Regional) da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), coronel Cassaro.

A coronel Ana Paula Habka, comandante-geral da Polícia Militar, ressalta que a operação busca aproximar as forças de segurança da comunidade

A comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ana Paula Habka, destacou que a Asa Norte abre a operação, que será levada para outras regiões do Distrito Federal. “Sabemos que a Asa Norte vem enfrentando alguns problemas, com o policiamento mais próximo da sociedade conseguimos identificar as situações e melhorar o nosso serviço que é proteger, servir e dar dignidade ao ser humano de bem”, comentou. Segundo ela, além do efetivo da PMDF, a operação ainda tem o suporte da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros Militar, do Departamento de Trânsito e da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O administrador do Plano Piloto, Bruno Olímpio, reforça que essa era uma demanda da população

A coronel Ana Paula Habka também ressaltou que a operação busca aproximar as forças de segurança da comunidade. “É importante que a população e o comerciante também venham e conversem com a polícia. Unidos, conseguimos manter e entender qual é o problema da cidade”, acrescentou.

Demanda da população

O administrador do Plano Piloto, Bruno Olímpio, lembrou que essa era uma demanda da população. “Nós da administração regional levamos a solicitação para esse maior policiamento, para que a comunidade da Asa Norte tenha uma sensação de segurança maior em relação a esses furtos e ao tráfico de entorpecentes, com o pessoal infiltrado na população de rua. A polícia nas ruas mostra que o GDF quer levar segurança para os comerciantes e moradores”, afirmou.

Para o aposentado João Ferreira, 66 anos, que mora na 309 Norte, a maior presença da polícia serve para frear a ocorrência de crimes no bairro. “Acho que a polícia ostensiva cria um certo receio para a marginalidade, dificulta ou afasta daqui essas pessoas que podem trazer algum mal à sociedade”, avaliou.

Dono de um estabelecimento comercial na 110/111 Norte, o empresário João Capelletto, 23 anos, comemorou a chegada da operação no bairro. “Aqui na Asa Norte sempre teve uma parte de segurança boa, mas com o tempo realmente houve uma mudança nesse cenário. Tenho ouvido relatos dos meus funcionários que têm medo de atravessar as passarelas embaixo do eixo e preferem passar por cima”, contou.

Capelletto analisou que o reforço no policiamento dará mais segurança aos profissionais e também aos clientes. “O pessoal vai se sentir melhor, com certeza. Acredito que a polícia mostrar o trabalho dela mais claramente para a população traz mais credibilidade e segurança para todos”, defendeu.

Repórter Brasília/Agência Brasília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *