Mais de 4 mil carteiras de identificação da Pessoa com Deficiência são emitidas pelo GDF

Print Friendly, PDF & Email

Lançado em novembro de 2023, o documento padronizado dá o direito de usufruir de filas preferenciais, atendimentos prioritários em programas sociais e habitacionais do governo e meia-entrada na compra de ingressos para eventos

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

O acesso a mais dignidade e conforto nos atendimentos para pessoas com deficiência (PcDs) e pessoas com transtorno do espectro autista (TEA) foi reforçado com a carteira Carteira de Identificação da Pessoa com Deficiência e do Autista. Desde o lançamento em novembro passado, mais de 4 mil cidadãos foram beneficiados.

Uma dessas pessoas é o aposentado Leriomar Eustáquio da Silva, 48 anos, que foi diagnosticado desde o nascimento com transtorno mental e limitações de fala. Ele explica que a carteirinha veio em boa hora e frisa que sua qualidade de vida melhorou depois que a recebeu. “A carteirinha fez muita diferença e trouxe dignidade para eu ser melhor atendido em tudo – filas, cinema, banco, hospitais e órgãos públicos. Inclusive apresentei a Secretaria da Pessoa com Deficiência [SEPD] para casos de autismo que tem na família, para que eles possam usar esse benefício também”, acentua.

Além de garantir mais comodidade a quem precisa, o documento emitido pelo Governo do Distrito Federal é especialmente relevante para quem tem alguma deficiência não visível | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Mais de 24 mil pessoas, assim como Leriomar, devem ser beneficiadas. De acordo com o secretário da Pessoa com Deficiência, Flávio Pereira dos Santos, o banco de dados da secretaria já registra em torno de 40 mil cadastros de PcDs. Desses, quase de 25 mil estão efetivados e aprovados. O gestor incentiva a população que possui esses direitos a realizar o cadastro na secretaria, visto que há quase 200 mil pessoas com deficiência no Distrito Federal.

“A função desse cadastro é unificar todas as pessoas com deficiência, para também atuarmos com políticas públicas mais efetivas de acessibilidade, inclusão e serviços onde a pessoa possa ser vista dentro do DF. A carteirinha ajuda a se identificar com mais facilidade e sem burocracia para utilizar os benefícios sociais a que elas já têm direito”, afirma o secretário.

Ele reforça, ainda, que mais de 10 mil pessoas entre os cadastros efetivados são de pessoas autistas. “As pessoas que têm uma deficiência não visível garantem a prioridade de atendimento sem o constrangimento de precisar se justificar ou provar o direito que já têm de utilizar aquele serviço”, pontua.

É possível adquirir o documento pelo site da Secretaria da Pessoa com Deficiência (SEPD), onde o acesso pode ser feito de forma direta em formato digital

Mais praticidade e conforto

Além de garantir mais comodidade a quem precisa, o documento emitido pelo Governo do Distrito Federal é especialmente relevante para quem tem alguma deficiência não visível. Ele serve para comprovar o direito de usufruir de filas preferenciais, atendimentos prioritários em programas sociais e habitacionais do governo, além de meia-entrada na compra de ingressos para cinema e diversos eventos.

A intérprete de libras Louise Mariane, 28, recebeu o laudo confirmando o transtorno do espectro autista moderado em 2023. Por trabalhar em meio a PcDs, ela soube da possibilidade de ter o benefício e destaca a praticidade que a carteirinha trouxe em contraste ao laudo de 20 páginas que precisava carregar apenas para comprovar um direito.

Louise possui dificuldade com sons elevados e ambientes barulhentos, então a fila prioritária diminui o desconforto na espera por atendimento. “Essa carteirinha me beneficiou porque a minha deficiência é oculta, então, em lugares onde eu preciso de atendimento prioritário, [a carteirinha] prova que eu tenho esse direito; se me questionarem, eu posso mostrá-la e conseguir um atendimento mais rápido para evitar a exposição. Recebi um diagnóstico tardio e está sendo uma descoberta ainda, mas é uma segurança saber que eu tenho esse direito resguardado”, declara.

É possível adquirir o documento pelo site da Secretaria da Pessoa com Deficiência, onde o acesso pode ser feito de forma direta em formato digital. Para quem opta por atendimento presencial, é possível procurar o Centro de Atendimento da Pessoa com Deficiência, localizado na Estação de Metrô da 112 Sul.

Repórter Brasília/Agência Brasília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *