Evento gratuito de MMA no DF vai arrecadar donativos para o Rio Grande do Sul

Print Friendly, PDF & Email

Edição 126 do Jungle Fight promete reunir até 14 mil pessoas na Arena BRB Nilson Nelson em 25 de maio; ingressos serão retirados no Parque da Cidade entre os dias 15 e 19 deste mês

Maior evento de MMA da América Latina, o Jungle Fight promete reunir até 14 mil pessoas na Arena BRB Nilson Nelson em 25 de maio. Com entrada gratuita, o torneio vai somar à corrente de solidariedade e reunir doações do público para serem enviadas à população do Rio Grande do Sul, afetada pelas inundações em diversas regiões do estado.

Foto: Agência Brasília/Reprodução

O Jungle Fight 126 terá entrada franca mediante doação de 1 kg de alimento não perecível ou doação de água potável. A retirada dos ingressos será entre os dias 15 e 19 de maio, das 9h às 19h, no Estacionamento 13 do Parque da Cidade, ao lado da Administração do Parque.

Nesta quarta-feira (8), o governador Ibaneis Rocha recebeu em seu gabinete o presidente do Jungle Fight, Wallid Farid Ismail, e ressaltou o apoio aos eventos esportivos no Distrito Federal. “Nosso governo está à disposição para prestar todo apoio que a população merece, que nossos jovens merecem e todos os envolvidos nas artes marciais. Que a população compareça ao evento e também faça a doação de 1 kg de alimento e donativos para serem enviados à população do Rio Grande do Sul que tanto precisa do nosso apoio neste momento”, disse Ibaneis Rocha.

O Jungle Fight 126 terá entrada franca mediante doação de 1 kg de alimento não perecível ou doação de água potável | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Todas as doações serão encaminhadas ao Comitê de Emergência Brasília pelo Sul, comandada pela Chefia-Executiva de Políticas Sociais e coordenada pela primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha.

Também presente na reunião no Palácio do Buriti, o secretário de Esporte e Lazer, Renato Junqueira, reforçou o apelo social do evento, que conta com um apoio de R$ 2,4 milhões do GDF por meio de um termo de fomento. “O DF é uma incubadora de grandes atletas das artes marciais. E trazer o Jungle Fight depois de 13 anos é muito significativo, representativo para nós, porque nós estaremos fazendo uma grande festa lá no Nilson Nelson. É importante a gente frisar que os ingressos serão gratuitos, mas claro que, por conta da enchente, para atender as vítimas da enchente do Rio Grande do Sul, nós estamos pedindo uma doação voluntária de um alimento, de um quilo de alimento não perecível, ou até mesmo um engradado de água mineral, que hoje tem sido a principal demanda da população do Sul”, pede.

O evento

No Jungle Fight 126 serão disputados dois cinturões. Um entre mulheres, na categoria até 57 kg, entre a amazonense Elora Dana e a carioca Brena Cardozo. Já entre os homens, a luta será pelo cinturão interino da categoria 61 kg. Vão subir ao ringue o brasiliense João Pedro Villa e o carioca Ronaldo Freestyle.

O torneio, que é o maior da América Latina, revelou alguns dos maiores lutadores do MMA no cenário internacional, entre eles José Aldo, Charles do Bronx, Fabricio Werdum, Lyoto Machida, Bethe Correia, entre outros.

Para Wallid Ismail, o evento em Brasília promete retomar a importância da capital para o cenário nacional do MMA. “Fico feliz de estar voltando para Brasília após 13 anos porque Brasília é gigante no MMA. O que estava faltando era oportunidade para os guerreiros daqui, para os jovens da comunidade assistirem o evento e se espelharem. O esporte é, sim, a maior ferramenta de inclusão social. Quantos jovens podem dar uma vida melhor à família através do esporte? Mas, para isso acontecer, tem que ter esses homens públicos aqui”, destacou o ex-lutador de MMA.

Brasília pelo Sul

Todas as ações da campanha Brasília pelo Sul, lançada pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para ajudar as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul, são coordenadas pela Chefia-Executiva de Políticas Sociais, liderada pela primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Noronha Rocha. Por meio da iniciativa, serão enviados aos municípios afetados pelas enchentes mantas, roupas, alimentos, água, utensílios, itens de higiene e outros objetos.

Repórter Brasília/Agência Brasília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *