Câmara de Deposição de Metal à Vácuo garante avanço científico para a PCDF

Print Friendly, PDF & Email

O equipamento foi desenvolvid para revelar impressões papiloscópicas a partir da evaporação e deposição de metais, como ouro, prata e zinco

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), em novo avanço visando seu desenvolvimento tecnológico, adquiriu equipamento de última geração: a Câmara de Deposição de Metal à Vácuo (VMD). Desenvolvida para revelar impressões papiloscópicas a partir da evaporação e deposição de metais, como ouro, prata e zinco, o novo maquinário representa um passo importante na modernização dos métodos de investigação forense do Laboratório de Exames Papiloscópicos, do Instituto de Identificação (LEP/II/PCDF).

As perícias realizadas em uma faca e em uma caixa de papelão preta culminaram nos primeiros laudos positivos a partir de impressões digitais reveladas pelo novo equipamento | Foto: Divulgação/PCDF

As perícias realizadas em uma faca e em uma caixa de papelão preta culminaram nos primeiros laudos positivos a partir de impressões digitais reveladas pelo novo equipamento, que está em operação desde outubro de 2023.

O VMD se mostrou altamente eficiente na revelação de impressões papiloscópicas em diversos tipos de superfícies. No caso de materiais porosos de coloração escura, a câmara preencheu uma lacuna deixada pelos métodos convencionais. “O VMD possibilita a revelação de vestígios de impressão papiloscópica em superfícies complexas, onde os reveladores tradicionais apresentavam resultados limitados”, explica a assessora da Divisão de Exames Laboratoriais do II, papiloscopista Débora Kist.

“A capacidade técnica trazida pelo VMD aumenta a eficiência dos trabalhos periciais e, por consequência, das investigações policiais da PCDF”, destaca a papiloscopista.

Repórter Brasília/*Com informações da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *