Lula diz que Congresso se empoderou e Poder Executivo tem ficado fragilizado

Print Friendly, PDF & Email
Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

Em entrevista de 50 minutos ao Jornal da CBN, nesta terça-feira (18), o presidente Lula falou dos principais temas que vêm sendo discutidos pelo Congresso Nacional, e deu sua posição sobre cada um dos projetos que o Parlamento vem analisando.

Aborto Legal

Ao comentar o projeto do aborto legal, em análise, na Câmara dos Deputados, o presidente Luís Inácio Lula da Silva disse que “as pautas de costumes debatidas no Congresso Nacional estão descoladas da realidade do país, e, que não deveriam estar no centro dos debates do Legislativo”.

Retrocesso para o país

Lula afirmou que “apesar de pessoalmente ser contra o aborto, o projeto em discussão é um retrocesso”. Ele disse que “é inadmissível que meninas de 12, 13, 14 anos, sejam obrigadas a ter filhos de estupradores. É crime hediondo uma menina ter filho de um monstro”.

Ótica de saúde pública

O presidente, salientou que contrário ao aborto, “mas esse tema precisa ser tratado pela ótica da saúde pública, já que muitas mulheres pobres acabam morrendo quando não tem acesso ao aborto legal, em rede pública de saúde”.

Taxação “das blusinhas”

O presidente considera um equívoco a taxação de compras internacionais de até U$ 50 enquanto as pessoas que viajam para o exterior podem realizar compras com limite superior. Após conversa com o ministro Fernando Haddad, o presidente concordou em criar uma alíquota de 20% em cima dessas compras. Lula disse que só vai sancionar o projeto para cumprir o acordo feito com o Congresso Nacional.

Benefício Fiscal

Luiz Inácio Lula da Silva afirmou , em relação aos benefícios ficais e as desonerações, que nada é descartável desde que seja provada a sua necessidade como um benefício fiscal”.

 Banco Central

Dentro de sua linha crítica ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, Lula afirmou: “nós só temos uma coisa desajustada no Brasil neste momento, o comportamento do Banco Central”. Lula critica dizendo que “um presidente de Banco Central que não demonstra nenhuma capacidade de autonomia, que tem lado político, não tem explicação a taxa de juros do jeito que está”.

Eleições 2026

O presidente Luís Inácio Lula da Silva disse que não quer discutir reeleição, mas cumprir o que prometeu ao povo brasileiro. Ele considerou dizendo: “se for necessário serei candidato. Não vou permitir que esse país volte a ser governado por um troglodita. Mas, não é a primeira hipótese”, explicou.

Rio Grande do Sul

O presidente Lula falou sobre a tragédia climática no Rio Grande do Sul, e a decisão de tratar a situação como uma coisa totalmente anormal, uma catástrofe. “Estamos fazendo pelo Rio Grande do Sul aquilo que jamais foi feito na história do Brasil”.

Investimentos na Educação

“Não existe nenhum país do mundo desenvolvido que não tenha investido na educação. O Rio Grande do Sul é um exemplo”, acentuou Lula. Destacou o ex-governador Leonel Brizola: “o nosso querido e saudoso Brizola, investiu muito na educação no Rio Grande do Sul”. Citou um episódio em que a ex-senadora Ana Amélia disse a ele “que devia o que ela era ao doutor Leonel de Moura Brizola, porque ele fez eu ter uma escola para estudar quando eu era criança”. Lula conclui: “É isso que eu quero para todo o povo brasileiro”.

Relação com o Congresso

Congresso Nacional (Crédito: Roque Sá Agência Senado)

Na avaliação do presidente Lula, “a relação do governo com o Congresso mudou muito depois da experiência do governo passado”. Acentuou que “o Congresso se empoderou demais, e o Poder Executivo tem ficado fragilizado na arte de exercer o Orçamento da União”. Lula destacou dizendo: “na essência, nós já aprovamos tudo o que a gente queria”.

Senadores no Vale do Taquari

“Esta é a segunda diligência que a comissão externa do Senado faz ao estado, agora no Vale do Taquari, uma região que foi drasticamente atingida pelas fortes chuvas, enchentes e inundações. Queremos conversar com as autoridades locais e ouvir a população”, afirmou o senador Paulo Paim (PT/RS), que estará com a comissão de senadores novamente no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (20) “É uma forma de levarmos nossa solidariedade e recebermos demandas”.

Alinhamento com o governo para afinar iniciativas

Os senadores Jorge Kajuru, Hamilton Mourão, Paulo Paim e Ireneu Orth, estão entre os senadores que integram colegiado que estuda medidas para enfrentamento do desastre climático no RS (Foto: Roque de Sá/ Agência Senado

“Pedimos prioridade na votação. O presidente Lula nos sugeriu um alinhamento com o governo federal para afinar as iniciativas. Alguns desses projetos surgiram da realidade do que vimos durante a primeira diligência que a comissão fez no estado, em Canoas e São Leopoldo, com a presença do governador, prefeitos, vereadores e deputados. Em um outro momento eu estive em Porto Alegre, Eldorado do Sul e Nova Santa Rita recebendo também reivindicações. Nós sabemos que há muito trabalho pela frente e que somente a união de todos vai garantir que o nosso estado volte aos trilhos”, senador Paulo Paim.

Roteiro – 20 de junho – quinta-feira
10h30 Lajeado – Visita a um abrigo – Pauta: Moradia/reconstrução das moradias afetadas.
12h10 Roca Sales – Visita a uma propriedade rural – Pauta: Agricultura Familiar
13h15 Encantado – Almoço (local a definir)
14h30 Encantado – Audiência Pública a fim de ouvir as demandas de autoridades e da comunidade. Local: Auditório Brasil – Prefeitura de Encantado – Rua Monsenhor Scalabrini, 1047
Pauta: Construção de casas, apoio ao comércio, indústria, agricultura familiar entre outras.
Integrantes da Comissão
Paulo Paim – Presidente (PT/RS)
Ireneu Orth – Vice-Presidente (PP/RS)
Hamilton Mourão – Relator (Republicanos/RS)
Astronauta Marcos Pontes (PL/SP)
Alessandro Vieira (MDB/SE)
Leila Barros (PDT/DF)
Espiridião Amim (PP/SC)
Jorge Cajuru (PSB/GO)

A Coluna Repórter Brasília é publicada simultaneamente no Jornal do Comercio, o jornal de economia e negócios do Rio Grande do Sul.

Edgar Lisboa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *