União pelo Rio Grande do Sul

Print Friendly, PDF & Email

Em tempos de adversidade, polarização deve ser deixada de lado e a união de esforços é essencial para superar os desafios e buscar o bem-estar da população. As enchentes que atingem o Rio Grande do Sul evidenciaram a necessidade de uma resposta coordenada e eficaz. Neste contexto, parlamentares e os governos Federal, Estadual e Municipal têm se unido para enfrentar esta calamidade com ações integradas e solidárias.

Necessidades imediatas

Em Brasília, os parlamentares, conscientes de sua responsabilidade, de modo geral, têm trabalhado incansavelmente para direcionar recursos e elaborar políticas que atendam às necessidades imediatas e de longo prazo das comunidades afetadas. Alguns poucos ainda tentam a polarização e o confronto, sem apresentar propostas efetivas, mas são rechaçados pela maioria.O Repórteer Brasília vem publicando ao longo das semanas, entrevistas e análises,com senadores , deputados e cientistas com opiniões, sugestões e ações que vem sendo desenvolvidas, em busca de soluçoes.

Pessoas sem nada

Afonso Hamm (Crédito: Câmara dos Deputados)

Deputados e senadores que enfrentam verdadeiros desafios para visitar os municípios do interior gaúcho, em conversa com o Repórter Brasília, têm relatado as agruras e desafios de percorrer o Rio Grande em meio a tragédia que deixou as pessoas sem nada. Congressistas, em sua grande maioria, acompanham de perto e buscam apoios que possam minimizar a situação das famílias, que de um momento para outro, ficaram sem casa, sem teto, sem roupas, sem comida, ao relento, deixando para trás uma vida de trabalho e, inclusive, seus animais de estimação, sem falar nos que perderam membros de suas famílias pelas forças das águas e por barreiras com terra, pedras e lama, soterrando tudo e a todos. Hoje, desesperados, de futuro incerto, mas com vontade e confiança de reconstruir, e começar de novo, ajudam outros desalojados a buscar caminhos de recuperação.

Dinheiro das comissões

O deputado Afonso Hamm (PP/RS), disse que busca, nas comissões que atua, Agricultura, Saúde, Esporte, Viação e Transporte, das estradas, pedindo, no mínimo a metade dos recursos que estão hoje, disponíveis em cada comissão destas, para atender o Rio Grande do Sul. Ele comemora que, o trabalho começou pela Comissão de Agricultura, com sucesso. O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávero estava lá, pois a rubrica é do ministério, e a decisão é da Comissão de Agricultura. Está assumindo a presidência da Comissão o deputado Evair de Melo (PP/SE), que esteve, agora, no Rio Grande do Sul, visitando regiões críticas, em Sinimbu, entre outros municípios.

Liberação rápida

O presidente, segundo Afonso Hamm, se comprometeu, no mínimo, destinar 50% da verba para o Estado. De R$ 180 milhões, representa de R$ 90 a 100 milhões, em máquinas e equipamentos, além de tentar que o Ministério da Agricultura, haja rápido, para disponibilizar o recurso para ajudar os municípios. O deputado Afonso Hamm, por designação dos progressistas, assume a vice-presidência da Comissão de Agricultura e promete acompanhar de perto para que a verba seja logo liberada.

Momento de buscar recursos

Afonso Hamm concluiu afirmando que, “é importante, a nossa disposição de, nesse momento, de todos os gaúchos e todos os brasileiros, em ajudar em tudo o que se pode o nosso Rio Grande do Sul. É hora de buscar recursos, o mais rápido possível”.

A Coluna Repórter Brasília é publicada simultaneamente no Jornal do Comercio, o jornal de economia e negócios do Rio Grande do Sul.

Edgar Lisboa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *