Resultados positivos para Lula

Print Friendly, PDF & Email

A ação do presidente Lula no Rio Grande do Sul, tem dado resultados positivos, que acabam refletindo nas pesquisas, para desespero da extrema direita, que tem buscado motivos para criticar o governo, principalmente, o ministro de Estado da Secretaria Extraordinária da Presidência da República para apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, jornalista Paulo Pimenta.

Estratégia acertada

As pesquisas mostram que acabou sendo um grande acerto, a estratégia do governo de entrar com força no apoio ao Estado, quando surgiu a tragédia das enchentes que sensibilizou todo o país. As ações do Palácio do Planalto, no Estado gaúcho, foram sentidas pela população, e refletiu numa reversão, num campo, até então, hostil ao presidente Lula.

Nova realidade

No pleito de 2022, o presidente Lula perdeu a eleição nos três Estados do Sul com uma margem significativa. O ex-presidente Jair Bolsonaro teve mais de 50% dos votos, e Lula, em torno de 40%. A pesquisa Datafolha divulgada na última semana, revela, pela primeira vez, uma realidade de Lula com mais avaliação positiva do que negativa na região Sul: 36% de positivo e 33% de negativo, uma boa diferença.

Mudando quadro hostil

Na avaliação de analistas políticos em Brasília, e alguns parlamentares, o resultado positivo da pesquisa foi fruto da ação intensa que o governo Lula vem desenvolvendo no Rio Grande do Sul, que também vem beneficiando a candidata petista à Prefeitura de Porto Alegre, deputada federal Maria do Rosário, que lidera as pesquisas eleitorais para a corrida ao executivo municipal. Portanto, não só o presidente Lula, mas também o PT, começa a reverter um quadro hostil, onde a oposição da chamada extrema direita é muito forte.

Liberação de recursos

A presença do presidente, com seus ministros no Estado, mais de uma vez, trabalhando juntamente com o governador Eduardo Leite (PSDB), na busca de soluções e liberação de recursos para reconstrução do Rio Grande do Sul, segundo parece, fez a diferença.

Governo agiu rápido

Queiram ou não os crédulos, os descrentes e a oposição, o governo agiu rápido, como exigia o momento e foi ao Estado onde permanece, até agora, com um ministro gaúcho que, portanto, conhece a região, e comanda um ministério extraordinário de reconstrução, com linha direta com o presidente e, decisões menos burocráticas.

Na frente nas pesquisas

Analistas políticos de Brasília chamam atenção para o fato de Maria do Rosário está  com 31% na pesquisa de intenção de votos, contra o atual prefeito de Porto Alegre, com 28%, uma diferença mínima, mas num segundo cenário, onde a parlamentar petista está pior, ela sai de 31% e vai para 30%, Sebastião Melo (MDB), aparece com 24%.

Resultados positivos

A polarização entre o prefeito do MDB e a deputada Maria do Rosário, do PT, deixa mais clara a mudança, reflexo de decisões de Lula, que gera resultados positivos para o conjunto do governo e do partido do presidente, no Rio Grande do Sul. Vale registrar outro ponto interessante: é a única capital do país, neste momento, nas pesquisas, em que um candidato do PT lidera.

Sensibilidade do governo

Na avaliação do Palácio do Planalto, a ação no Rio Grande do Sul tem mostrado sensibilidade do governo em reconstruir o Estado onde o eleitor não lhe era favorável. Isso tornou mais sensível o povo gaúcho, neste momento de desespero, na busca de auxílio.

A Coluna Repórter Brasília é publicada simultaneamente no Jornal do Comercio, o jornal de economia e negócios do Rio Grande do Sul.

Edgar Lisboa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *