Legalização dos Jogos de azar

Print Friendly, PDF & Email
Ilustração: Edgar Lisboa com recursos IA

A votação do projeto de lei que pode liberar os jogos de azar no Brasil, como cassinos, bingos, jogo do bicho e apostas em corridas de cavalos foi adiada, mais uma vez, pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. A proposta que, tramita, há mais de um ano, já tem parecer favorável do relator, senador Irajá Abreu (PSD/TO), deve ser votada na próxima semana.

Hoje atuam na ilegalidade

O relator argumenta que os jogos de azar já são praticados atualmente de maneira ilegal, no Brasil. De acordo com o senador, a proposta é importante para maior arrecadação e a liberação poderá gerar mais de 600 mil empregos.

Tragédia social

Já o senador Eduardo Girão (Novo/CE), que é contra, classifica o projeto como uma “tragédia social, sem precedentes que abre a possibilidade de lavagem de dinheiro e corrupção”. A bancada evangélica é contra o projeto.

Críticas ao Deputado

O leitor professor Valdecir Moschetta, de Erechim, RS, critica as afirmações feitas pelo deputado Osmar Terra (MDB/RS), publicadas na coluna desta quinta-feira (13), sobre “a inutilidade da vacinação infantil contra a nova variante da Covid-19”. Osmar Terra disse, entre outras coisas, que, “quem ganha são os laboratórios e não há ganhos para a saúde pública”.

Deputado “negacionista”

“Lamento ter de ler na sua coluna de hoje, mais mentiras de um deputado negacionista que não faz por merecer o título de médico. Esse tal de Osmar Terra foi negacionista na pandemia e, ainda, agora, encontra espaço em jornal conceituado para continuar a mentir. Lamento profundamente”, salienta Valdecir Moschetta.

Menos privilégios e mais eficiência

Daniel Trzeciak (Crédito: Edgar Lisboa)

O deputado Daniel Trzeciak (PSDB/RS), em meio a uma semana movimentada no Congresso Nacional, falou ao Repórter Brasília sobre os desafios de um mandato. Criticou o excesso de discussão entre direita e esquerda, enquanto problemas graves da população são deixados de lado. O parlamentar defende o combate a privilégios, cobra mais eficiência e a diminuição da burocracia. “É justamente o que a gente enxerga na ponta da população”.

Desenvolvimento econômico

Daniel Trzeciak afirmou que “invés do excesso de discussão entre direita e esquerda, é para frente que tem que ir, com debates, sobre Desenvolvimento econômico, com geração de emprego, com controle da inflação e obviamente sem ter corrupção”.

Em busca de curtidas

Questionado sobre como vê a atuação dos colegas parlamentares, o Congressista gaúcho aponta, “há muita lacração, muito vídeo em rede social para lacrar, para buscar likes, curtidas”, acrescentando: “o que a gente precisa é ter resultados, não é vídeo em rede social que vai resolver. O que a gente precisa é ter um trabalho sério de legislar, de fiscalizar”.

Polarização igual Grenal

“O que eu enxergo muitas vezes é essa polarização, essa divisão, como se fosse grenal, ou a pessoa é Grêmio ou é Inter, como se tivéssemos uma arquibancada apontando os erros”, afirmou Trzeciak.

“É fácil só apresentar problemas”

O parlamentar afirmou que é oposição ao governo do PT. “Faço críticas construtivas e aponto solução, porque senão é muito fácil só apresentar problemas. Nós temos que achar solução, e aqui não é sobre polarizar, sobre dividir, é sobre agregar”.

Tragédia no Rio Grande do Sul

No que diz respeito a tragédia que continua atingindo o Rio Grande do Sul, o deputado Daniel Trzeciak diz que, “quem tem a chave do cofre é o governo federal, que arrecada os impostos dos brasileiros, e é o governo federal que nesse momento tem que abrir o cofre e distribuir para quem precisa”.

Muita lentidão

“Não dá para a gente ficar esperando, nós já estamos há mais de 40 dias das enchentes e ainda tem gente que está desabrigada, tem gente que está desalojada”, avaliou Trzeciak. Ele argumenta: “as pessoas estão sem ter o seu trabalho de volta. É muita lentidão, infelizmente. Eu tenho cobrado mais atitude, proatividade do governo”.

Dólares, documentos e roupas

O deputado Daniel Trzeciak contou uma história sobre as doações à população gaúcha, que surpreendeu a todos. “Nós recebemos doações que vieram de Santos, São Paulo, através de uma articulação que fizemos, com o meu colega, deputado federal Paulo Alexandre. Recebemos quatro caminhões de doações, alimentos, material de higiene pessoal, material de limpeza, ração para cachorros e muitas roupas”.

A surpresa na mala

O envelope que surpreendeu a todos. “Estávamos selecionando as roupas e uma das malas que vieram, mala da Marlboro, antiga tinha roupas das doações e muitos documentos, fotos e um bolo de dinheiro, 10 mil dólares. Nós identificamos o proprietário da mala que tinham esses documentos, um morador de Santos, um senhor de 77 anos, que guardava a mala há 15 anos, juntava dinheiro e esqueceu que na mala estavam os dólares e os documentos”. Ele é um policial federal aposentado, Mário Cassiano Dutra. Disse ao g1 que juntou o dinheiro por mais de uma década para fazer uma viagem à Europa, após a aposentadoria, o que nunca saiu do papel. “Como não apareceu a oportunidade, eu esqueci”, disse. Comovido o policial aposentado comentou que, “se esses documentos não estivessem na sacola, jamais teriam me encontrado. Me comoveu, acho que é a lei do retorno”, acentuou.

Dinheiro em boas mãos

“Identificamos o proprietário da mala e dos dólares e devolvemos os 10 mil dólares”, comemorou o parlamentar, acrescentando que, agradecido, o proprietário do dinheiro fez uma doação de 2 mil dólares às vítimas da tragédia do Rio Grande do Sul. “Que bom que o dinheiro caiu em boas mãos. A coordenadora da nossa equipe, coordenador do escritório do deputado, em Pelotas, Laura Trapaga, é que identificou, fez a vistoria da mala e proporcionou esta devolução. Digo isso porque esse gesto ele inspira. As pessoas falam que todo o político é igual, todo político é ladrão, não é. O que não é nosso tem que ser devolvido para quem é o dono. Que bom que a gente conseguiu a char o dono”.

Honestidade independente das circunstâncias

Laura Trapaga

A postura da coordenadora do Gabinete do deputado Daniel Trzeciak, em Pelotas, enobrece os gaúchos por valorizar a integridade e fazer o que é certo, independentemente das circunstâncias. Ela é alguém em quem o deputado e todos podem confiar para agir corretamente, especialmente em situações difíceis. Parabéns Laura Trapaga, mantenha essa conduta ética consistente, demonstrando retidão e transparência.

A Coluna Repórter Brasília é publicada simultaneamente no Jornal do Comercio, o jornal de economia e negócios do Rio Grande do Sul.

Edgar Lisboa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *