De “Casaca e Chuteiras” | https://reporterbrasilia.com.br/

Inicial / Matérias Especiais / De “Casaca e Chuteiras”
Gorgulho: Pelé e JK deram autoestima aos brasileiros. Ilustração do artista Kacio.

De “Casaca e Chuteiras”

Print Friendly, PDF & Email

Um livro em homenagem aos 80 anos do Rei Pelé e os 60 anos de Brasília, promete movimentar o mundo político e esportivo nos próximos dias. O lançamento está previsto para dia 23 de outubro. O jornalista e pesquisador Silvestre Gorgulho, depois de 10 anos de pesquisa, lança o livro “De casaca e Chuteiras”, que envolve duas personalidades que fazem parte da boa história do Brasil: Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, que fará 80 anos dia 23 próximo, e Juscelino Kubitschek.

Bons tempos da seleção e da política

O livro, rico em detalhes, nos remete a pensar nos bons tempos da Seleção Brasileira dos grandes dribles e jogadas cinematográficas. Também, nos leva a refletir sobre a Política, a Cultura e a História, quando os momentos eram outros: talento, conteúdo e estratégias inteligentes, sem conotações apelativas, e sem utilização de fake news e mídias sociais manipuladas.

Construção de Brasília

Enquanto Juscelino Kubitschek trabalhava em seu sonho de construir Brasília, que celebrou 60 anos em 2020, Pelé consolidava a Seleção Brasileira como um dos maiores símbolos nacionais, com três títulos em Copas do Mundo em um espaço de 12 anos. (1958, 1962 e 1970).

Histórias que poucos conhecem

Silvestre Gorgulho conta que, entre as histórias, contidas no livro, estão: Pelé, servindo o exército. Apenas duas personalidades do mundo serviram o exército no auge da fama. Uma delas é Pelé. Ele campeão do mundo em 1958, foi servir o exército, em 59. A outra personalidade é o Elvis Presley, o rei do Rock. Outra parte do livro fala do pai do Pelé, Dondinho, que jogava melhor que ele. Dondinho fez nove gols de cabeça, num só jogo.

Brasília, JK e Pelé

Os três fatos que marcaram o Brasil para sempre e me levaram a escrever o livro, revela Gorgulho, Brasília, JK e Pelé, que discorro ao longo de toda a edição. Foram os primeiros dribles políticos, culturais e históricos: Em 31 de janeiro de 1956, JK toma posse como o 21º Presidente da República do Brasil; Em 18 de abril de 1956, JK assina a Mensagem de Anápolis – Projeto de Lei enviado ao Congresso Nacional para mudança da Capital do Rio para Brasília; Em 7 de Setembro de 1956 Pelé (com apenas 15 anos), faz seu primeiro jogo como profissional, quando o Santos disputa o Troféu Independência contra o Corinthians de Santo André.

Histórias Inéditas

De Casaca e Chuteiras é um coroado de histórias inéditas e interessantes da política e futebol, no Brasil. Muitas surpresas nas 436 páginas, como por exemplo, o prefácio de João Havelange. O ex-presidente da Fifa da CBD foi um dos primeiros a conhecer a obra. Deixou um texto pronto sobre o livro antes de morrer, aos 100 anos, em 16 de agosto de 2016.

Autoestima aos brasileiros

O jornalista faz um agradecimento especial ao artista Kacio, autor da capa que apresenta JK de chuteiras com o uniforme da Seleção e Pelé de casaca. “Mais do que mineiros, são ídolos, nomes nacionais de respeito e estadistas que fizeram uma revolução pela competência, pela arte, pelo patriotismo, pela generosidade, pela determinação, pela ousadia e pelo amor ao Brasil.”  Segundo Gorgulho, “ambos deram autoestima aos brasileiros. Pelé e JK representam uma era de desenvolvimento do país na política e no esporte”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.